As favelas são hoje habitadas por aproximadamente um sexto da população mundial. Trata-se da parcela mais carenciada, olvidada e desprezada da população do planeta, que escolheu ir viver para as margens da grande metrópole porque a agro-indústria se apoderou de todo o negócio do sector primário da economia: tornou-se impossível competir com ela através da produção do que quer que seja (um hectar de milho californiano, por ex., produz 5 vezes mais do que um hectar de milho mexicano).

Periodicamente, os seus bairros são visitados pelas bulldozers com o mesmo à vontade com que os bulldozers israelitas, apoiados por tanques, arrasam casas em Gaza para abrir caminho à construção do muro de separação entre os dois povos.

Começo esta série com um pequeno vídeo do jornal inglês The Guardian, que poderá consultar clicando aqui:

http://www.guardian.co.uk/world/video/2011/apr/25/rio-favela-homes-world-cup-video

Se for à Copa do Mundo, em 2014, e estacionar o carro para ir ver a bola, já sabe, depois de assistir ao vídeo, o que é que lá estava antes.