Os políticos de todo o mundo não apresentam hoje senão um programa único, que traduz um pensamento único, aos seus eleitores: crescimento infinito, construção infinita, exploração infinita de recursos, mercados infinitos, mercadorias infinitas, espectáculos infinitos, consumo infinito, depredação infinita, extermínios infinitos, fortunas infinitas, neo-liberalismo infinito. Mas a essas petites têtes (como diria Debord se fosse vivo) sem consciência da história, logo, sem pensamento estratégico, nunca nenhum acessor terá dito: e se por acaso o planeta fosse finito?

Dois princípios muito simples para compreender o nosso tempo:

1) Já nada, MAS ABSOLUTAMENTE NADA, escapa à razão económica.

2) Que se fodam os povos!

E, já agora, outros dois para transformá-lo:

1) Que se foda a razão económica!

2) Levante-se a resistência pelo futuro dos povos!

Um vídeo da International Rivers ilustrativo dos quatro princípios: