A frase é óbvia. Mas ninguém, EM NENHUM MÉDIA, é capaz de dizê-la. E muito menos de pensar (para transformar) o presente a partir dela…

É cada dia mais invivível, inabitável, irresperável este quotidiano, feito à medida da grande indústria e da alta finança: os bancos e os industriais são salvos pelo poder político, os salários do povo sacrificados, um por um.

Passos, sabias que já se fizeram motins por muito menos?