Depois de ter subido os picos mais célebres e arriscados dos Himalaias, de se ter perdido em passeios de eléctrico pelo subúrbio de Pyongyang e de ter pernoitado em acampamentos tuaregues no norte do Mali, é legítimo que o aventureiro turista ocidental procure novos desafios. Da minha parte, recomendo-lhe que visite a Rússia mais profunda, onde deverá sem dúvida fazer a rota desconhecida (o Lonely Planet ainda não a descobriu) das ‘zakrytye administrativno-territorial’nye obrazovaniia’, isto é, das ‘formações territoriais administrativas fechadas’, que são nada mais do que autênticas cidades secretas, fechadas aos forasteiros, por questões estratégicas – de natureza militar, científica, geográfica, industrial ou nuclear.

Zona de entrada e de controlo para a cidade fechada de Seversk, Rússia, 2006, Dmitry Afonin