Grande jogadora, algures no Quénia, 2010, Martin Parr

No Quénia, ainda há brancos que continuam a levar vida de brancos e pretos que continuam a fazer “vida de pretos”, como diria um daqueles taxistas que se apanham no aeroporto da nossa capital e como também demonstra este magnífico post do fotógrafo Martin Parr.