José Sá Fernandes. E até o ar ficará mais puro em Lisboa.