Eureka! Os operadores turísticos do Alentejo acabam de descobrir um novo e fascinante produto: a nostalgia. A grande descobridora desta nova pólvora contava hoje ao Público: “Num país como Portugal que possui um número de emigrantes tão elevado, tanto de primeira como de segunda geração, é lamentável que o mercado da nostalgia não se encontre devidamente explorado”.

Ora, a sociedade do espectáculo, que já não encontra limites para o seu modus operandi, é isto mesmo – capaz de mercantilizar (converter em espectáculo) até o detalhe mais ínfimo, e à partida menos espectacularizável, da vida contemporânea.