“Na zona que fica por cima da cripta subterrânea, por onde agora se faz o acesso às escadarias de acesso à residência oficial do primeiro-ministro, dois funcionários atarefavam-se ontem de manhã, em cima de um gigantesco escadote, a puxar e a fixar cabos ao longo das paredes. Horas depois, já se via o resultado do seu trabalho. No tecto em frente a uma das portas que dão acesso à traseira do antigo convento estava um pequeno objecto semi-esférico de vidro opaco: uma câmara de filmar tinha sido instalada.” (Público, hoje)