A violência policial (exemplificada no célebre e bárbaro espancamento de Rodney King) foi apenas o rastilho para uma das maiores e mais espantosas ocupações de paisagens da contemporaneidade.

O vídeo evidencia o espanto dos jornalistas (maioritariamente brancos, classe média) perante a naturalidade com que os afro-americanos (que fazem os motins) ignoram a legalidade e a polícia, para se tornarem momentaneamente os únicos donos dos seus bairros, onde se apoderam de forma selvagem e espontânea de paisagens e mercadorias. As paisagens operam aqui como palco para celebrar uma identidade (maioritariamente afro-americana, excluída, subjugada) e comunicar uma fúria e um ódio acumulados ao longo de gerações.

Talvez o melhor vídeo para revivermos os factos seja este: